TecnologiaEmpreendedor

Dicas para produzir conteúdo de negócios na internet

Postado em: 19 de Julho às 09:00

Empreendedores do setor de alimentação encontram na produção de conteúdo digital oportunidades para diversificar e rentabilizar seus negócios

Com recursos digitais cada vez mais acessíveis e a facilidade de comunicação proporcionada pelas redes sociais, empreendedores do setor de alimentação vêm enxergando uma nova oportunidade de rentabilizar seu negócio ao produzir conteúdos para a internet. Com isso, cresce o número de proprietários de negócios que passam a difundir conhecimento sobre suas áreas de atuação de forma online, seja por meio de videoaulas, sites, blogs, livros digitais (e-books), podcasts ou outros materiais de ensino.

“No ambiente digital, as pessoas começaram a ter um protagonismo maior, o que possibilita a rentabilização”, explica o consultor Ricardo Robson, gerente de atendimento do Sebrae do Distrito Federal. “Não há levantamentos concretos sobre o universo de empreendedores do setor de alimentação que estão rentabilizando o conhecimento por meio da produção de conteúdo, mas pode-se dizer que é um mercado em expansão e com muitas possibilidades”, afirma Ricardo.

Essa rentabilização por meio do conhecimento e da experiência dos empreendedores do setor de alimentação pode ocorrer de diversas formas, como: a monetização por parte de plataformas como o Google AdSense (que paga aos produtores de conteúdo para exibir anúncios dentro de seus sites) e o YouTube (que paga aos donos de canais dentro da plataforma de acordo com o número de exibições de anúncios nos vídeos); contratos com fornecedores para indicação ou exibição de produtos nos conteúdos produzidos; e, principalmente, retorno em vendas no próprio estabelecimento, no caso de empreendedores que já tenham um negócio de alimentação. “Quando você vê o chef de um restaurante que você conhece fazendo uma videoaula, ela passa a ter um diferencial e a ser muito mais atrativa”, comenta o consultor.

Quando se fala especificamente de aulas e cursos em vídeo, investir na produção de conteúdo digital permite redução de custos e ganho de escala.

“Em cursos online, por exemplo, é possível amplificar a quantidade de alunos além da capacidade de um espaço físico. Se tenho um curso ou um produto em que o meu faturamento está atrelado a um espaço físico, tenho uma limitação. Contudo, quando uso uma plataforma digital, posso estar agregando 20%, 30%… até 40% ao meu faturamento”, explica Ricardo.

COZINHA CONECTADA

A chef Denise Lessa, proprietária da marmitaria Dê Delícias e cliente da loja Assaí Parangaba, em Fortaleza/CE, começou seu negócio de marmitas congeladas saudáveis em 2017. Desde o início, ela investiu na divulgação digital do empreendimento, principalmente pelo Instagram, compartilhando receitas práticas e saudáveis em seu perfil na rede social. Com ótimo retorno por parte dos clientes e uma explosão no número de seguidores, Denise enxergou a oportunidade de rentabilizar com a produção de conteúdos.

Quase três anos após criar o perfil no Instagram (@de.delicias), ela já conta com mais de 60 mil seguidores. Denise produz e comercializa e-books, ministra cursos online a preços acessíveis e está iniciando um canal no YouTube − tudo sobre alimentação saudável, “sem neuras”, nas palavras da chef. “Percebi a dificuldade das pessoas em ir para a cozinha e comer comida de verdade, de forma prática e rápida.

Como tinha uma bagagem ao longo de alguns anos preparando marmitas saudáveis, resolvi compartilhar com outras pessoas”, recorda.

Denise produz os e-books com o apoio de nutricionistas, que auxiliam no balanceamento das receitas. Para cuidar das redes sociais, conta com a ajuda do marido. “Os cursos me trouxeram um retorno muito bom”, revela.

Para aumentar o alcance dos conteúdos, a empreendedora fez uma parceria com a influenciadora digital Thayse Teixeira: “Tenho um quadro de culinária na rede social dela – o Dona da Cozinha –, no qual ensinamos a preparar marmitas e lanches para vender.”

Outra oportunidade que surgiu a partir dos conteúdos online foi ministrar aulas personalizadas na casa de clientes. “Chamo de ‘Delivery de cozinha’. Eu vou até a casa do cliente e ensino o passo a passo do preparo de pratos saudáveis e criativos e depois continuo dando consultoria pelo WhatsApp”, explica.

Para quem está começando, Denise aconselha iniciar com o que já tem: “Não espere ter um projeto completo. Começar com o que se tem já é um grande passo.”

Inspire-se nessas dicas para expandir o seu modelo de negócios e também começar a produzir conteúdos para a internet. Quem sabe seu conhecimento possa alcançar mais pessoas?!

Para ler a matéria na íntegra, acesse a 39ª edição da Revista Assaí e saiba mais detalhes sobre a geração de conteúdo online e o engajamento com o seu público!

Post mais vistos

Vitrine do Fornecedor

Unilever
Kibon
DelValle
Coca-cola