Empreendedor

7 dicas de ferramentas de negócios para se organizar

Postado em: 18 de Março às 15:11

Confira 7 ferramentas de planejamento para ajudar a estruturar seu negócio de maneira prática e efetiva

Você conhece ferramentas capazes de identificar soluções importantes e ajudar na organização do dia a dia do seu negócio? Então vamos mostrar como é possível implementar essas técnicas para melhorar o desempenho do seu microempreendimento!

Existem 7 exercícios de planejamento de negócios simples, que podem ajudar a identificar oportunidades e a fazer o seu processo de gestão ficar mais fluido, com menos erros e mais acertos.

Todos eles que vamos mostrar são em um formato conhecido como Canvas. Já ouviu falar?

Canvas é uma espécie de mapa visual, um quadro de tarefas ou um organograma. Geralmente, é dividido em colunas ou áreas desenhadas para definir objetivos, problemas, etapas de um processo específico ou até do negócio como um todo.

Pense em uma árvore genealógica, que mostra toda a origem de uma família, passando dos bisavós, aos avós, pais, tios, filhos, sobrinhos, etc. O Canvas é mais ou menos isso, dividindo por níveis ou etapas até chegar a um resultado principal.

Que tal descobrir alguns modelos de Canvas para ajudar a melhorar o fluxo e a linha de crescimento do seu negócio? Confira 7 deles que preparamos:

 

1 – JORNADA DO CLIENTE

Bem, como o nome sugere, esse modelo serve para entender o antes, o durante e o depois dos clientes ao consumirem um produto ou serviço.

É importante entender quais são as motivações que levam o consumidor a comprar algo, quais os desejos, as necessidades, os momentos, os interesses, as oportunidades e o nível de satisfação.

Esse modelo de ferramenta é mais usado no início da fase de inovação, na medida em que se busca sugerir melhorias para atingir o consumidor final.

Se você vende salgados por encomenda, por exemplo, e quer aumentar o número de clientes, entender qual o salgado que eles mais gostam ou onde vender, vale fazer um antes, durante e depois para conquistar mais pessoas.

 

2 – MAPA DE EMPATIA

Esse modelo se baseia na técnica de gerar ideias criativas. Para isso, são feitos estudos de imersão, observação, pesquisas e entrevistas para gerar dados relevantes que orientem o lado criativo.

E você mesmo(a) pode fazer sua pesquisa! No balcão da sua loja, por exemplo, deixe uma caixa de sugestões perguntando aos clientes “o que você mais gostou”, “qual melhoria você sugere”, “foi bem atendido(a)”, “como conheceu a loja”, e, aos poucos vai ter respostas para começar a desenvolver ideias e soluções criativas.

O microempreendedor coloca-se no lugar do consumidor para entender o que ele sente e como interage com o negócio para, a partir disso, identificar as principais dificuldades e acertos.

 

3 – COCD CANVAS

Você tem dúvidas em qual melhoria apostar primeiro e como priorizar as necessidades no seu ponto de venda? Então o COCD Canvas (uma matriz de tomada de decisão criada pelo Center for Development of Creative Thinking na Bélgica) é o mais indicado.

Ele tem dois eixos principais: originalidade e facilidade de implementação.

Depois de uma reunião para discutir projetos de avanço para o seu negócio e uma boa tempestade de ideias (brainstorming), selecione as principais delas em diferentes níveis de importância:

Ideias BOLA: precisam rodar mais para ficarem boas.

Ideias MAÇÃ: prontas e fáceis de implementar.

Ideias OSSO: estão meio distantes e são “duras de roer”.

Ideias ESTRELA: aquelas realmente inovadoras e que podem fazer a diferença.

Assim que separar todas elas, comece a executá-las! Primeiro, as ideias MAÇÃ, que são mais rápidas de implementar, seguido das ideias ESTRELA, que podem trazer ótimos resultados assim que forem trabalhadas.

Deixe as ideais OSSO para um futuro próximo, quem sabe lá na frente elas não fiquem melhores de desenvolver. E, no tempo livre, pegue as ideias BOLA e desenrole mais, discuta mais e veja como aprimorá-las!

Em uma pizzaria, por exemplo, as ideias MAÇÃ podem ser um novo sabor, um combo diferente ou uma nova receita de massa. A ideia ESTRELA poderia envolver um novo sistema de delivery por aplicativos de comida, que tal?

 

4 – MODELO DE NEGÓCIOS E PROPOSTA DE VALOR

Esse modelo serviu de inspiração para todos os demais canvas com foco em gestão básica.

Seu papel é encontrar uma identidade para o seu negócio e definir o perfil do seu consumidor. Além disso, ajuda a validar se o seu produto é realmente adequado para quem o compra.

Em uma feira a céu aberto, por exemplo, os feirantes oferecem produtos fresquinhos na primeira hora do dia para quem acorda cedo e preza pela qualidade e frescor.

Portanto, o ambiente é mais para quem vende/compra frutas, verduras e legumes. Se surgir alguém que venda materiais de construção ou equipamentos tecnológicos pode ser que a procura seja baixa, pois os produtos não estão adequados para o momento.

Ele é fundamental para quem quer abrir um microempreendimento ou está no início do negócio, tentando entender a própria identidade e quem serão os consumidores principais. Dê valor ao seu negócio e consiga clientes fiéis para prolongar o sucesso.

 

5 – LEAN STARTUP CANVAS

A palavra lean pode ser traduzida como “enxuta”, então, Lean Startup significa aprimorar um sistema de microempresa mais enxuto, com menos processos e mais resultados.

Mais focado em empresas startups (de pequeno porte, mas com alto potencial econômico), essa ferramenta de análise e percepção de negócios utiliza a filosofia Lean Startup para alinhar expectativas e identificar o problema, a solução, a proposta de valor, os consumidores ativos e, ainda, o custo de aquisição e ciclo de vida da microempresa.

De maneira rápida, fica mais fácil identificar o que precisa ser melhorado, ou até excluído do processo, para facilitar o caminho do seu produto até o consumidor.

Uma confeitaria, por exemplo, vende tanto doces fabricados na própria loja quanto docinhos fornecidos por uma microempreendedora parceira. Além disso, há fornecedores de bolos de festas e outros de doces de balcão, como brownies e chocolates.

A demanda é mais forte para doces da loja, consumidos na hora, com poucos pedidos por encomenda para eventos. Por isso, em vez de continuar com 3 ou mais fornecedores de diferentes especialidades, é melhor para a confeitaria continuar vendendo os doces que produz e manter a microempreendedora parceira, abrindo mão dos outros fornecedores para baratear os custos e focar no consumo dentro do ponto de venda.

Aparando as arestas, fica mais fácil identificar onde estão as oportunidades e investir certo.

 

6 – FERRAMENTA BÁSICA DE PROJETO

Combinar planejamento, criação e execução faz dessa ferramenta uma forte chave para engatar uma série de ações que podem ser colocadas em prática na hora de montar um projeto.

De modo prático, pegue um papel e faça um círculo no meio, que representa a sua empresa. Em seguida, faça setas que saem do centro para as extremidades e coloque todos os parceiros relacionados, as mercadorias utilizadas, o público a ser atingido, as oportunidades de crescimento e tudo o que você é capaz de gerar a partir da sua estrutura de negócios.

Para quem tem um minimercado, por exemplo, é fundamental fazer a ligação com todos os fornecedores para ver quais deles são essenciais e que o público-final prefere. Veja se a parceria entre vocês também é fácil ou existem muitos obstáculos (demora na entrega, falta nos pedidos, baixa periodicidade), assim fica melhor de ver o que está dando errado e como melhorar isso tudo.

Depois, olhe em volta e veja o que está faltando para completar essa rede e vá em busca dos resultados!

 

7 – SCRUM BOARD

Para traçar um plano de comunicação efetivo para o seu negócio, utilize a metodologia Scrum (que nada mais é do que um esquema de colunas alinhadas) para dividir em etapas o crescimento do seu negócio.

Os sprints (intervalos de tempo e picos de execução em cada coluna) são a ferramenta para otimizar as tarefas do seu planejamento. É como desenhar, em um quadro, várias colunas uma ao lado da outra e colocar os objetivos por ordem de importância até chegar no foco principal.

A cada sprint, um novo objetivo. Isso fará com que você alcance resultados em menor tempo, de forma acelerada e com “pequenos objetivos” de cada vez até alcançar o seu objetivo principal.

É uma corrida saudável em busca de resultados que pode dar mais dinâmica ao seu negócio, como uma corrida com passagem de bastão em que os esforços anteriores podem influenciar na chegada ao sucesso.

 

E então, vai aplicar essas ferramentas de organização para melhorar as oportunidades dentro do seu negócio?

Esperamos ter ajudado com as dicas para organizar seu plano de gestão e alcançar seus objetivos. Continue na Academia Assaí para mais conteúdos e conte com a gente na sua jornada empreendedora!

VOLTAR

Vitrine do Fornecedor