EmpreendedorismoEmpreendedor

Trabalho e dedicação são fundamentais no sonho do próprio negócio

Postado em: 13 de Abril de 2018 às 17:03 Por Redação

Jovem empresário baiano faz sucesso com esfihas em São Paulo

 

Em cinco anos, Wilian Santos Campos, 26 anos, passou de empregado a sócio-proprietário, abriu seu primeiro negócio, expandiu com outra unidade e se prepara para inaugurar uma terceira casa. Com o Rei da Esfiha, Wilian, que era trabalhador rural na Bahia, estabeleceu-se em São Paulo e hoje vende cerca de 1.500 salgados por dia.

“Tinha 17 anos quando vim para São Paulo e fui trabalhar em uma esfiharia. Um tempo depois, também passei a trabalhar no Aeroporto de Guarulhos, com importação e exportação. Passei dois anos acumulando conhecimento e guardei uma parte do dinheiro. Eu já havia pensado em montar meu próprio negócio e até tive a chance, mas estava aguardando o momento certo. Foi quando achei uma oportunidade para entrar como sócio de uma esfiharia em São Miguel Paulista (SP). Investi a quantidade de dinheiro que tinha e entrei com meu trabalho. Era eu que ficava na loja, no comando físico, na linha de frente mesmo.”, relembra.

O empresário se dedicou ao negócio e viu, dia após dia, o potencial de crescimento. Acabou comprando a parte do sócio e repassou uma parcela à irmã, Vanessa. “Isso foi ótimo, porque ela veio trabalhar comigo e eu pude dividir as responsabilidades de estar fisicamente no negócio com ela. Isso permitiu que eu abrisse a segunda unidade, desta vez com outro sócio. Minha irmã foi um pilar fundamental para o crescimento do negócio. A nova loja foi aberta em Itaquaquecetuba e é bem maior. Demoramos um mês e meio para montar e, quando inauguramos, quase não demos conta do movimento. Eram 35 mesas ocupadas e tinha fila de espera. Foi preciso cerca de quatro meses para encontrar o equilíbrio dessa loja. Hoje ela está bem.”, conta.

Além de esfihas, são servidos pastéis, lanches, beirutes e pizzas, com destaque para a saborosa massa, que faz sucesso entre os clientes. Além de atender o cliente final, Wilian também produz salgados para revenda. “Nosso maior diferencial é a quantidade e a qualidade dos recheios. O cliente sai satisfeito, porque caprichamos de verdade”, garante. Com o bom movimento das lojas e o retorno positivo de seu negócio, Wilian planeja, para 2018, mais uma unidade. “Já estou olhando um bom ponto e minha intenção é abrir outra loja até o meio do ano”.

Bons negócios 

Com o tempo de condução do próprio negócio, Wilian afirma ter aprendido muito, inclusive que sozinho não se chega a lugar nenhum. “É preciso ter uma equipe bem preparada, para garantir a qualidade do que você serve aos clientes. Se associar a pessoas de confiança e dedicadas, como você. Não adianta montar um negócio e deixá-lo ‘andar sozinho’ e pensar que você vai ficar rico do dia para a noite. É necessário saber tocar o negócio e entender do seu ramo, até mesmo para orientar os colaboradores. Uma equipe preparada reflete na qualidade do seu serviço. É importante, também, ter bons fornecedores, pois assim você garante que servirá alimentos adequados”, diz.

Cliente da loja Assaí Itaquaquecetuba, Willian compra cerca de R$ 40 mil em produtos mensalmente. Boa parte dos ingredientes que usa no preparo do que serve vem do Assaí Atacadista. “Compro queijos, presunto, salsicha, tomate, cebola, manteiga, café, leite, açúcar, refrigerante, fermento, óleo, temperos, entre outros produtos. Encontro grande variedade do que preciso no Assaí Atacadista e tenho um ótimo relacionamento com meu gerente. Então, pela quantidade que compro, consigo sempre negociar o preço. Além disso, a rede oferece vantagens no pagamento. Isso me ajuda muito”, revela.

Post mais vistos

Vitrine do Fornecedor

Coca-cola
DelValle
Kibon
Unilever