DicasEmpreendedor

Pequeno empreendedor: 7 dicas para lidar com a saúde emocional

Postado em: 01 de Junho às 19:05 Por Gabriel Sestrem

Desafios decorrentes do isolamento social podem trazer desconfortos emocionais para o empreendedor. Confira dicas para lidar melhor com a saúde emocional na quarentena!

O papel do empreendedor é essencial para o desenvolvimento de qualquer economia. É como resultado da coragem, da persistência e da criatividade dos empreendedores que empregos são gerados e que soluções para diversos problemas da sociedade são criadas. No entanto, a atividade é carregada de diversos desafios e, em um momento como este, de isolamento social, com grandes reflexos na atividade econômica, empreendedores – principalmente de setores mais impactados pela quarentena, como é o caso da alimentação – podem estar mais suscetíveis a preocupações, ansiedade, estresse e demais desconfortos emocionais.

Para ajudar você, proprietário de um negócio de alimentação, a lidar melhor com as turbulências emocionais, o Portal Academia Assaí Bons Negócios conversou com a psicóloga clínica Caroline Machado da Costa Lisboa, que listou 7 dicas para melhorar a saúde emocional na quarentena.

1.  ORGANIZE A ROTINA

Organizar a rotina definindo tudo o que deve ser feito no dia e na semana relacionado ao trabalho, ao tempo com a família e aos momentos de lazer é um importante recurso para manter a saúde emocional estável.

Para a psicóloga, em um momento de maior estresse como o da quarentena, organizar o dia a dia reduz a sensação de “desespero” e facilita encontrar outras “válvulas de escape” para amenizar os danos emocionais. “Há momento para tudo. Em períodos como esse, todos estão mais tensos e, muitas vezes, essa tensão está relacionada às finanças e ao trabalho. Mesmo assim é preciso definir horários para trabalhar, para estar com a família, para relaxar com atividades que tragam bem-estar e até mesmo para reorganizar as finanças de casa identificando onde é possível reduzir custos”, orienta Caroline.

2. RECONHEÇA OS PRÓPRIOS LIMITES

Quando se fala em organizar a rotina, a definição de limites caminha lado a lado. Caroline pontua a necessidade de determinar apenas as tarefas que o empreendedor entende que dará conta. “Planejar a semana tem grande utilidade para a saúde emocional. Mas é essencial entender os próprios limites, já que em momentos como esse o empreendedor corre o risco de querer fazer muito mais do que o necessário para sair dessa situação, e isso pode afetar bastante o aspecto emocional. Por isso reconhecer os limites e ser flexível quanto às tarefas tem um papel de grande importância”, aconselha.

3. CONVERSE COM A FAMÍLIA SOBRE O NOVO RITMO DE VIDA

Durante a quarentena, muitas famílias passaram a estar juntas dentro de casa por um tempo prolongado. Além de conflitos que surgem naturalmente desse período de maior proximidade, nesse cenário há pais que precisam dar conta do trabalho e crianças que têm atividades escolares para fazer.

Para amenizar problemas e estresses adicionais, vale a pena conversar claramente com os integrantes da família, definir prioridades e horários para cada coisa e expor as necessidades de cada membro. “Imagine uma situação em que os pais precisam trabalhar enquanto um dos filhos precisa estudar e o outro está ouvindo música em um volume mais alto. O que é prioridade neste momento? O trabalho e o estudo. E nesse caso, a música pode gerar distração e irritação. Toda a família precisa estar a par dessas necessidades, e isso se resolve por meio do diálogo entre todos”, explica a psicóloga.

4.  ORGANIZE OS PENSAMENTOS

Para quem empreende, o planejamento é indispensável, e torna-se ainda mais essencial em períodos de instabilidade econômica. Mas, de acordo com a psicóloga, para ter um bom planejamento é preciso estar organizado mentalmente. “Trabalhar com a mente cheia, preocupada e pessimista é muito difícil. Por isso é recomendado tentar ao máximo manter uma perspectiva otimista, buscar estar mais próximo de pessoas motivadas e até mesmo evitar ficar muito tempo acompanhando notícias sobre uma crise, por exemplo”, pontua Caroline.

5. DEDIQUE UM TEMPO PARA ORGANIZAR AS FINANÇAS DA FAMÍLIA

A preocupação por ver a diminuição de parte da renda e o receio de não conseguir pagar todas as contas pode consumir muito da saúde emocional do empreendedor. Por isso, além de buscar meios para adaptar o negócio e aumentar as vendas, vale a pena investir um tempo readequando as finanças de casa para o momento de turbulência. “Às vezes o empreendedor é o único que provê em casa. Fazer um planejamento financeiro das contas da família considerando o que é essencial e o que não é e buscando uma redução de custos pode trazer mais tranquilidade”, afirma.

6. DEDIQUE UM TEMPO ESPECÍFICO DO DIA PARA ACOMPANHAR AS NOTÍCIAS

Passar tempo demais acompanhando notícias que envolvem a pandemia pode fazer mais mal do que bem para a saúde emocional. A psicóloga explica que muitas vezes boas notícias são a exceção, e boa parte do que é noticiado sobre a pandemia pode impactar de uma forma ou outra os negócios, o que acaba gerando mais sentimentos negativos. “É essencial estar bem informado, mas é mais adequado reservar um momento do dia próprio para isso, sem expor-se demais a essas informações a ponto de ficar abatido”.

7. BUSQUE AS PESSOAS CERTAS

Como você viu no item 4, quando se está com a mente leve é mais fácil ter boas ideias, e manter uma perspectiva otimista é essencial ao desenhar adaptações para melhorar o desempenho do negócio. Entretanto, nesse processo de replanejar o empreendimento para enfrentar a quarentena é preciso também estar perto de pessoas que possam contribuir com conhecimento, experiência ou suporte.

“Além da transparência com os familiares mais próximos em relação às preocupações e dificuldades, é válido contar com o apoio de empreendedores mais experientes e outros profissionais capazes de contribuir para encontrar soluções. Nesse período é ainda mais importante estar próximo de pessoas capazes de dar suporte. O apoio profissional também é muito bem-vindo, desde um profissional de saúde que possa contribuir em caso de ansiedade em excesso, por exemplo, até um consultor de uma instituição como o Sebrae, que tem um trabalho importante para orientar empreendedores em momentos de dificuldades”, orienta Caroline.

Como uma dica bônus, a psicóloga recomenda que ao final de cada dia o empreendedor faça um pequeno balanço de tudo o que foi feito tanto em termos profissionais quanto pessoais. “Um balanço final do dia ajuda a identificar o que está dando certo e o que não está, e a partir daí pode-se corrigir o percurso com novas formas de adaptação”, finaliza.

Você sabia que o aspecto emocional pode afetar o relacionamento familiar durante o isolamento social? Se você trabalha com outros membros da família no seu negócio, aproveite para conferir dicas para manter a harmonia no seu empreendimento durante a quarentena!

Post mais vistos

Vitrine do Fornecedor

Unilever
Kibon
DelValle
Coca-cola