EmpreendedorismoBares e Lanchonetes

Conheça a história do Mestre das Quentinhas

Postado em: 27 de Agosto de 2018 às 08:21 Por Redação

A trajetória do Mestre das Quentinhas, que era motorista de ônibus e trocou o volante pelo mercado da gastronomia na cidade de São Paulo

Quer saber por que chamam o Rogério de “Mestre das Quentinhas”? O foco dele é servir refeições para pequenas e médias empresas com até cem funcionários, um perfil de clientes que não é visado ou atendido pelos principais nomes das refeições coletivas no Brasil.

Foi a partir dessa descoberta que a Prato Quente Refeições cresceu e segue ganhando mercado desde 2010, tendo no comando o jovem empreendedor Rogério Alves dos Santos.

Ele resolveu mudar sua vida profissional quando era motorista de ônibus, aos 27 anos. Atualmente, ele está com 35 anos de idade e o restaurante serve cerca de 400 refeições por dia, com cada marmitex sendo vendida a 15 reais, em média.

A inspiração para o negócio veio da mãe, Dornecilia Rosa Zanata, que era dona de um bufê de festas na região de Taboão da Serra, bairro do Brooklin Paulista, na grande São Paulo, e que mais tarde passou a comandar duas churrascarias na região.

Rogério resolveu aceitar a proposta comercial feita pela própria mãe, que, naquele momento, passava por dificuldades para gerenciar os dois estabelecimentos.

“No ano de 2010, minha mãe me ofereceu uma das churrascarias para que eu comprasse. Foi lá que comecei a entregar refeições em obras, oportunidade que surgiu quase que por acaso”.

Ele explica o início: “Um cliente me perguntou se eu podia fornecer comida para a obra da empresa dele, que contava com vinte funcionários. Comecei e deu certo. Três meses depois, já fornecia 80 refeições e então percebi que o faturamento da cozinha era superior ao do restaurante.”

“Resolvi encerrar a churrascaria e aluguei uma garagem para montar a estrutura da cozinha”, relembra.

Primeiro, ele deu início às suas atividades na garagem alugada, depois instalou a Prato Quente Refeições em um galpão. Hoje, a cozinha industrial da empresa está localizada em um espaço dentro do Hospital da Cruz Vermelha, localizado na Avenida Moreira Guimarães, na capital paulista.

“Conheci a nutricionista do hospital e ela me contou sobre um projeto que havia para contratar uma empresa de alimentação. A ideia era ter um fornecedor de comida para atender os funcionários e os pacientes, além de visitantes e acompanhantes. Então acabamos por compartilhar a estrutura, firmar contrato. Estamos lá há quatro anos”, conta.

Hoje, Santos comanda uma equipe de cerca de 45 funcionários, distribuída na cozinha industrial – a Prato Quente Refeições –, cujas instalações se localizam no bairro de Moema, em São Paulo, além de três restaurantes, sendo dois deles no bairro do Brooklin Paulista (Apha e Alpha Grill), região de Itapecerica da Serra, e outra casa, o Restaurante Prato Quente, também em Moema.

DESAFIOS E COMPRAS

Ser empreendedor no ramo de gastronomia no Brasil não é uma tarefa fácil e, na realidade das cozinhas industriais, essa situação não é diferente, principalmente para pequenos e médios empreendedores, pois enfrentam, nesse mercado, a concorrência de “gigantes” do setor.

Por isso, para aumentar o faturamento, não basta “vender” comida para lucrar. Saber comprar bem os insumos se torna uma parte estratégica do negócio, sem contar as expectativas dos clientes, que estão cada vez mais exigentes e não abrem mão de receitas de qualidade.

Desde que iniciou o negócio, em 2010, Santos realiza as compras no Assaí. “O tempo de comerciantes como eu é muito curto. Realizo meu abastecimento na loja do Pirajussara, no bairro do Taboão da Serra”.

Uso o Televendas da rede e sempre recebo promoções. Faço uma compra para cada negócio e elas são semanais, mas há também as compras diárias.

“Minha mãe foi inspiração, mas aprendi o negócio na prática. Temos que estar atentos ao comportamento do cliente no dia a dia, pois ele não abre mão de qualidade, independentemente do preço a ser pago pela refeição”, afirma.

Uma história inspiradora como essa só estimula o aprendizado e a vontade de empreender! Fique de olho na Academia Assaí para mais novidades e relatos marcantes!

 

Post mais vistos

Vitrine do Fornecedor

Coca-cola
DelValle
Kibon
Unilever