EconomiaEmpreendedor

Novos hábitos de consumo mudam o posicionamento do mercado

Postado em: 02 de Abril às 20:21 Por Redação

Confira, no conteúdo do Portal Academia Assaí Bons Negócios, como os novos hábitos de consumo estão mudando o mundo e criando novas previsões para os próximos anos. Seu negócio está preparado?

 

Empreender não é  tarefa das mais fáceis. Vencer a concorrência, lidar com as burocracias, conquistar a clientela e se estabelecer no mercado. São apenas algumas das missões que qualquer empresário precisa enfrentar, independentemente do porte e do segmento de sua empresa. O pontapé inicial para pavimentar um caminho próspero e bem-sucedido é estudar e avaliar com atenção as tendências, principalmente os novos hábitos de consumo.

Mas como nascem as tendências? Quais são as mais fortes ou as mais voláteis no momento? E ainda mais importante: como adaptá-las e transformá-las em ações e projetos específicos para cada negócio?

 

Os novos hábitos de consumo

Consultor na área de inovação do Sebrae e um dos responsáveis por um estudo que mapeou as principais macrotendências globais para os próximos anos, João Luis de Moura explica que as previsões não têm relação com modismos momentâneos. As análises são, na verdade, feitas com uma visão mais completa e de maior duração, que leva em consideração uma grande escala de fatores entre consumidores e padrões de comportamento em todo o mundo.

Após longas e detalhadas pesquisas, os resultados da análise indicam quatro grandes tendências para os próximos anos. “As quatro grandes macrotendências que vão ditar os rumos do mercado a partir de 2018 se baseiam em escassez de tempo, experiências únicas, ultraconectividade e economia sustentável. As empresas que souberem trabalhar com essas informações e tiverem condições de desenvolver ações e produtos com base nelas sairão na frente e terão tudo para conseguir se adaptar aos novos hábitos de consumo”, explica João Luis. O consultor ainda reforça e garante que, quanto mais conectadas e entrelaçadas as macrotendências estiverem, maiores são as probabilidades de sucesso.

 

Quarteto das tendências

Confira as quatro macrotendências - analisadas de acordo com os novos hábitos de consumo - que devem ser a tônica dos negócios bem-sucedidos nos próximos anos, de acordo com o estudo publicado pelo Sebrae:

 

  1. Economia sustentável

 

Ligada a valores de consumo ético e consciente, já não é considerada um modismo. Segundo o estudo que mapeou as principais macrotendências globais para os próximos ano, aproximadamente 8% da população brasileira é vegetariana ou vegana.

 

  1. Escassez de tempo

 

Serviços mais dinâmicos serão cada vez mais procurados. Com pouco tempo livre, consumidores buscarão opções que ofereçam rapidez e permitam que o cliente não gaste seu tempo de lazer.

 

  1. Experiência única

 

A escassez de tempo também influencia na forma como os consumidores compram e interagem com o mercado. Experiências mais humanas, customizadas e exclusivas terão preferência.

 

  1. Ultraconectividade

 

Característica de um mundo cada vez mais conectado, a inteligência artificial terá importância decisiva no sucesso de negócios e será fundamental para unir as outras tendências em um mesmo produto ou serviço.

 

A tecnologia é futuro

Além de concordar com o especialista do Sebrae, o presidente da Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC), Eduardo Terra, adiciona outras três tendências que devem se intensificar nos próximos anos. “O uso de dados e inteligência artificial nos negócios está cada vez mais forte. A preocupação com a saúde e o bem-estar pode ser vista nas prateleiras de supermercados, que possuem cada vez mais produtos orgânicos, naturais e sem glúten. Por fim, acrescento a questão da mobilidade urbana. As pessoas estão menos propensas a ter um carro e tendem a buscar meios de transporte alternativos. Um supermercado, por exemplo, talvez tenha que ter menos estacionamentos e mais acessos a esse tipo de mobilidade urbana.”

 

Como encontrar as respostas?

Segundo especialistas, as respostas a boa parte das questões relacionadas ao assunto podem ser encontradas na observação atenta do comportamento do consumidor. A base de toda a cadeia que inspira novos hábitos de consumo é resultado de mudanças na forma como as pessoas compram, vivem e se relacionam.

Ainda, segundo Eduardo Terra,  as tendências que realmente vingam e se mostram mais duradouras são aquelas que surgem com os novos hábitos de consumo. Ele entende que o comportamento humano é mais preciso do que consultorias e estudos quando o assunto é previsão de tendências.

Para ele, o empresário deve estar atento, antes de tudo, a acontecimentos e novidades em seu mercado. Tudo isso para saber as melhores maneiras de enquadrar os projetos dentro de um contexto favorável. “Empreendedores devem analisar as tendências, com bastante frequência. Visitar eventos, congressos e palestras. É importante ressaltar que deve ser realizada uma filtragem, porque cada negócio tem posicionamento e cultura próprios. A partir da análise das grandes tendências globais, você chega a um país, chega a um segmento, interpreta e só então aplica essa tendência em forma de uma ação ou de um projeto”, explica Eduardo.

 

Antenadas e preparadas

Observar e analisar tendências é bem diferente de colocá-las à prova no mercado. Conversamos com empreendedores que fazem de tudo para que as previsões do Sebrae e da SBVC estejam corretas.

 

Tempo é dinheiro

Quando voltou de uma pós-graduação realizada na Universidade de Berkeley, Califórnia, o empresário Lucas Ceschin se uniu a três sócios para levar adiante uma ideia que tem tudo a ver com as tendências citadas anteriormente. Pouco tempo depois do retorno ao Brasil, nascia o James, um sistema de delivery online (via aplicativo de smartphone) que conecta consumidor, entregador e estabelecimento (restaurantes, farmácias, livrarias, etc.) de maneira rápida e eficiente.

A proposta do empreendimento é permitir que o cliente possa pedir qualquer coisa, a qualquer hora. “Notamos uma diferença de comportamento e vimos que as pessoas cada vez mais querem ‘agora’, sem espera. O aplicativo se baseia nisso e na pergunta ‘quanto custa o tempo?’. Com o acúmulo de tarefas no dia, ter um entregador que possa entregar qualquer produto ao consumidor sem que seja necessário esperar por isso é uma grande oportunidade dentro desses novos hábitos”, comenta Lucas, cuja startup defende o uso ecologicamente responsável dos meios de transporte e favorece oportunidades de emprego para estudantes.

 

Experiência única

O Bar Cool Down realmente leva a sério o termo “experiência única”. Destinado aos apaixonados por games e cultura pop, o estabelecimento surgiu com a proposta de se tornar um ponto de encontro para praticantes de jogos eletrônicos, oferecendo uma imersão temática no universo de E-Sports - termo utilizado para definir o mundo do esporte eletrônico -, do cardápio às atrações, que envolvem até torneios. Inspirado em cadeias como Hard Rock Café e Bubba Gump, o empresário Thiago Penteado pensou em um projeto coeso do começo ao fim.

“Desde a concepção, nosso objetivo era entregar uma experiência ao invés de um produto. Como estamos inovando na proposta do bar, mantemos um foco constante em vender essa experiência tanto no conceito e na decoração quanto no atendimento, nos produtos ou nos frequentes eventos que criamos, para dar vida e movimento à casa”, explica o empreendedor.

 

Gostou do novo conteúdo do Blog Academia Assaí Bons Negócios sobre os novos hábitos de consumo? Então compartilhe-o com seus amigos e familiares e aproveite para acompanhar as principais tendências de negócio por aqui! Estar com você. Esse é o nosso negócio!

Post mais vistos

Vitrine do Fornecedor

Unilever
DelValle
Coca-cola