Empreendedorismo

Mercado pet em crescimento: quais são as oportunidades para empreender

Postado em: 20 de Novembro às 12:03 Por Paulo Henrique

Com o mercado pet em crescimento ano após ano, o Brasil passa a ser o 2° maior mercado do segmento segundo a revista Forbes
 

Nos últimos anos, o consumidor passou por uma série de mudanças em seus hábitos, influenciando diretamente o mercado. O cuidado com a alimentação passou a ser comum na vida de grande parte dos consumidores, cada vez mais atentos aos rótulos dos produtos, reduzindo o consumo de industrializados, transgênicos, conservantes e corantes. 

Aliado a isso, outra mudança significativa no perfil do consumidor é a forma como nos relacionamos com os pets. Segundo a revista Forbes, o faturamento total do segmento, incluindo indústria e varejo, foi de R$ 35,4 bilhões até o terceiro trimestre de 2019, crescimento de 3% em relação ao ano anterior inteiro.

Para muitos consumidores, os pets são parte da família, por isso, é muito comum a preocupação com a saúde e a felicidade dos animaizinhos de estimação. A médica veterinária paraense, Carolina Martins, trabalha com nutrição animal desde 2014 e afirma que “A nutrição é a base para o tratamento de todas as doenças e a melhor forma de preveni-las”. Ela conta que é por isso que se apaixonou por essa área, e completa: “Hoje, na nutrição como um todo, há uma tendência a deixar o industrializado para se voltar para a ’comida de verdade‘, e isso também é uma verdade para os nossos pets”. 

Com o mercado pet em crescimento, você, empreendedor do ramo de alimentos, pode explorá-lo com o seu negócio e aproveitar as vantagens de trabalhar dentro desse segmento com a alimentação natural para pets. 

Expansão de mercado

Talvez você esteja pensando: “não tenho como atuar nesse mercado, trabalho com entrega de marmitas diariamente e não tenho tempo para cozinhar para dois públicos”. Mas calma! O manuseio e o preparo da alimentação para pets são parecidos com os praticados no preparo da alimentação humana.

Antes de adentrar nesse segmento, você pode realizar cursos de especialização para entender melhor quais são os tipos de restrições alimentares para animais, bem como quais as melhores maneiras de preparo. Contudo, grande parte das dietas é in natura, ou seja, os alimentos são crus e sem tempero. 

“Deve-se ter muito cuidado, pois apesar de estarmos oferecendo ’comida de verdade‘, há peculiaridades que devem ser observadas. O balanceamento e a suplementação são muito importantes e devem ser feitos respeitando a individualidade de cada indivíduo, pois diferente de uma ração industrializada em que o balanceamento é assegurado pela empresa e a suplementação vitamínico-mineral é ajustada conforme as instruções dos consensos internacionais, a comida caseira - isto é, não industrializada - não é completa e nem balanceada por si só, mas sim através de um profissional da área” afirma a profissional.

Mesmos ingredientes de uma dieta comum

Os ingredientes que compõem os pratos são naturais, tais como peixes, frangos, carne bovina e suína, ovos e vísceras de animais.

Além da proteína, os carboidratos e as fibras também acompanham a alimentação para pets: arroz integral, lentilha, chuchu, cenoura, abobrinha, beterraba, rúcula, brócolis, inhame, batata-doce e ervilha. Gorduras, como banha suína e óleo de peixe e de coco, também podem ser incluídas.

Interessante, não? Grande parte dos alimentos necessários para trabalhar com a venda de refeições para pets é a mesma do preparo para o público consumidor das marmitas no exemplo citado acima.

Reaproveitamento de alimentos

Sabe aquelas folhas e as partes mais “feinhas” dos legumes e vegetais que você opta por não colocar no prato do seu cliente, porque pode causar uma má impressão? Você pode utilizá-las na montagem das refeições para pets.

Além disso, pedaços como pele e vísceras, que geralmente são descartadas, tornam-se verdadeiras fontes de proteína para os animaizinhos. Dessa forma, você constrói um empreendimento mais sustentável e com 100% de aproveitamento dos ingredientes. 

Assim como todos os desafios na trajetória de um microempreendedor, adequar seu atendimento ao segmento pet exige mudanças e determinação. Conduto, é um mercado em constante crescimento – e pode ser lucrativo para o seu negócio. Para acompanhar outros materiais como este, acesse Academia Assaí Bons Negócios.
 

Vitrine do Fornecedor

Unilever
Kibon
DelValle
Coca-cola