EmpreendedorismoConfeitaria

A confeitaria que investiu no delivery de alimentos

Postado em: 16 de Julho às 05:00

Com gestão de alto nível e foco no delivery, confeitaria de Salvador faz sucesso apostando em bolos caseiros e outras delícias

“O que mais nos motiva é ver o negócio funcionando. O sucesso financeiro é uma consequência dessa realização”, afirma Daniela Veloso, uma das três sócias da confeitaria Bolos das Meninas, localizada em Salvador/BA. Foi com esse espírito que ela e mais duas amigas empreendedoras transformaram uma confeitaria caseira em um negócio muito bem-sucedido.

O ano era 2013. Daniela Veloso, Danielli Guimarães e Geórgia Cirilo dividiam um apartamento na capital baiana. Enquanto as duas primeiras já eram amigas desde a infância, Geórgia tinha acabado de chegar à cidade, vinda de Minas Gerais, e procurava uma fonte de renda. Foi nesse período que a ideia de fazer bolos para vender começou a se desenhar.

Para ajudar a amiga, Daniela sugeriu à sua tia aposentada, que fazia bolos decorados e dava cursos de confeitaria, que Geórgia começasse a acompanhar as aulas de bolos caseiros, ajudando no que fosse possível. Assim, aos poucos, ela também foi aprendendo o ofício. “Um dia, quando estávamos com minha tia tomando café, ela nos disse: ‘por que vocês não vendem bolos no prédio onde moram?’”, lembra Daniela.

SUPERAÇÃO E APRENDIZADO

O prédio em que as futuras empreendedoras moravam tinha 44 apartamentos. Isso significava que havia 43 potenciais clientes para seu futuro negócio. As três amigas decidiram preparar bolos para degustação servidos em belas embalagens e enviaram a todos os moradores.

No entanto, nenhum dos vizinhos fez sequer um pedido. “Mas não desistimos no primeiro obstáculo. Eu não sabia, na época, mas depois compreendi que esta é uma característica do empreendedor nato: persistência”, conta Daniela.

As amigas resolveram, então, levar seus bolos para uma feira que era realizada na cidade aos sábados. “Nessa segunda experiência, vendemos apenas um de 13 bolos. Nossa mentalidade, desde o começo, era trabalhar com insumos de primeira linha e isso tem um custo. Percebemos que aqueles não eram nossos clientes”, explica Daniela.

Em vez de desistir e voltar para casa com quase toda a produção, elas resolveram tentar a sorte em outro local. A mudança deu certo e as empreendedoras tiveram sua segunda lição: entender o público-alvo.

Aquele novo local tornou-se um dos primeiros pontos de venda da Bolos das Meninas. Durante todo o ano seguinte, as amigas iam até o local, abriam o porta-malas do carro, colocavam uma toalhinha e vendiam os bolos feitos por Geórgia – que, hoje, além de sócia-proprietária, é a responsável pelo setor de produção da confeitaria. Aos poucos, foram melhorando a estrutura, diversificaram as receitas e passaram também a pensar em formas de conquistar outros públicos. Não demorou muito para Daniela e Danielli pedirem demissão de seus empregos e passarem a se dedicar integralmente ao empreendimento, junto com Geórgia.

PRODUÇÃO

As três sócias sempre tiveram o hábito de conversar e trocar ideias para alavancar as vendas e expandir cada vez mais o negócio. De acordo com Daniela, além das receitas tradicionais (laranja, limão, aipim e milho verde), elas criaram novos sabores que as diferenciam no mercado. Além disso, adicionaram mais produtos ao portfólio, como os famosos bolos salgados, feitos com massa de pão de queijo e uma variedade de recheios − calabresa e provolone; carne de sol; provolone e banana-da-terra; e shimeji, para vegetarianos.

A qualidade dos ingredientes e a excelência nos processos também ajudaram a destacar a empresa no mercado de confeitaria da capital baiana. “Nossos produtos são diferenciados, não levam conservantes. Mesmo fazendo fornadas com 26 bolos ao mesmo tempo, nós peneiramos todos os ingredientes secos e batemos com o fouet. Isso faz toda a diferença”, observa Daniela.

Hoje, a empresa conta com duas lojas físicas, um trailer, uma pequena fábrica (na qual fica a produção, o estoque e o escritório) e dois carros responsáveis pelas entregas dos pedidos.

FOCO NO DELIVERY

O delivery surgiu na empresa em 2017 como um passo natural, seguindo as tendências do mercado. Mas a modalidade ganhou força rapidamente e hoje é responsável por 70% das vendas. “Fomos uma das primeiras confeitarias de Salvador a entrar nos principais aplicativos de entrega. Porém, passamos a estudar nosso mercado e a oferecer também um serviço próprio de entregas por telefone e WhatsApp”, revela a empreendedora. O serviço de entregas da Bolos das Meninas conta com um veículo próprio que segue uma logística específica, com entregadores cobrindo uma parte da cidade no período da manhã e outra à tarde.

Com a situação de isolamento social que se estabeleceu desde março deste ano, as empresárias criaram estratégias para se adaptar ao momento. E, mais uma vez, elas usaram a criatividade para se destacarem no delivery: em uma das campanhas criadas para o período, fizeram parceria com uma ONG de fomento à leitura, que arrecada livros e os disponibiliza em pontos pela cidade. Recebendo uma grande doação de livros, passaram a enviar, junto com os pedidos diretos pelo telefone ou WhatsApp, um exemplar para que o cliente pudesse ler durante a quarentena. “A ação deu muito certo. Além de movimentar as vendas, tivemos um ótimo retorno por parte dos clientes”, ressalta Daniela.

Gostou de conhecer essa história? Para ler a matéria na íntegra, acesse a 39ª edição da Revista Assaí e saiba mais detalhes sobre a Confeitaria Bolo das Meninas!

Post mais vistos

Vitrine do Fornecedor

Unilever
Kibon
DelValle
Coca-cola