Sustentabilidade

O inverno pode deixar seu negócio mais caro

Postado em: 18 de Junho de 2021 às 13:16 Por Redação

A conta de energia encareceu! E agora? Pois é, o inverno tem muitas vertentes positivas aos empreendedores para lucrarem e diversificarem seus produtos segmentando à estação, mas, quando o assunto é gasto de energia, os números da conta de luz crescem.

Mesmo em regiões mais quentes do Brasil, como no Centro-Oeste, onde o inverno varia entre as temperaturas 15°C e 24°C, ainda assim o consumo de energia é maior. Dentro desse contexto, a Academia Assaí de Negócios separou a explicação do porquê isso acontece e dicas para economizar energia elétrica no período. 

Um dos vilões do inverno é o chuveiro. Colocá-lo na opção “inverno” pode custar 30% a mais do consumo de energia ao seu negócio caso seja utilizado para as necessidades da empresa. Como a maioria dos negócios não utiliza esse tipo de equipamento, ele nos alerta para seus “primos”, ou seja, os eletrodomésticos e demais equipamentos que utilizam o sistema de resistência para produção ou aquecimento dos alimentos. 

O clima seco é outro fator que interfere no uso de equipamentos e aumenta os gastos. Muitas pessoas continuam utilizando os umidificadores e o ar-condicionado para manter a temperatura ou mesmo baixá-la. Em períodos de seca, a tendência é que o nível dos reservatórios diminua ainda mais, o que significa a necessidade de acionamento das usinas termelétricas, que, por sua vez, são mais caras. O resultado disso é o aumento na tarifa de energia para os brasileiros.

Dicas para diminuir o consumo

Além das clássicas recomendações, como luzes apagadas enquanto não utilizadas, algumas de nossas dicas têm efetivamente a intenção de fazer seu negócio baixar o consumo. Obviamente, com os últimos aumentos na conta de energia, mesmo fora do contexto do inverno, essas dicas podem ser adotadas em todas as épocas do ano. 

As dicas são baseadas em estudos de uma concessionária de energia. Confira abaixo:

 

  1. Troque aparelhos e equipamentos antigos por modelos mais atuais: o Centro Brasileiro de Informação de Eficiência Energética (Procel Info) indica por classificação de conceito, se os aparelhos são econômicos ou não. São aqueles selos normalmente colados no aparelho quando o compramos. São equipamentos mais econômicos aqueles com a categoria “A” indicada. 

 

  1. Aparelhos em stand by merecem atenção: quando os aparelhos estão desligados (TVs, computadores, micro-ondas), mas continuam na tomada e mantêm normalmente uma luz acesa durante horas. Isso pode aumentar a conta de eletricidade em 20%. O ideal é retirar da tomada.

 

  1. Ambientes de tons escuros utilizam mais luz elétrica: pintar os estabelecimentos de cores claras pode aumentar a claridade do local, poupando gastos excessivos com lâmpadas acesas, ao menos durante o dia.

 

  1. As lâmpadas de LED são ideais para economizar: trocar as antigas lâmpadas amarelas pelas de LED pode representar uma economia de 80% na conta de luz. 

 

  1. Luz natural: aproveite as janelas abertas e, se possível, que as portas e demais entradas sejam de vidro para que a luz natural entre mais facilmente no estabelecimento. A instalação de espelhos pode multiplicar essa quantidade de luz também. 

 

  1. Evite o pico de energia: das 17h às 22h é o período em que as pessoas mais utilizam energia por estarem em casa de volta de seus trabalhos. Nesse período as tarifas da conta de luz aumentam.

Para mais dicas de economia e inovação nos negócios, você pode nos seguir pelas redes sociais e ouvir nosso podcast “Negócio em Dia”, ambos disponíveis AQUI.

 

Vitrine do Fornecedor

Coca-cola
DelValle