NegóciosEmpreendedor

Como manter o negócio de rua na ausência de eventos

Postado em: 10 de Julho às 17:57 Por Rodrigo Coradi

Se você é vendedor ambulante e está sentindo o impacto do isolamento social, veja dicas de como ativar e manter o seu negócio de rua funcionando

Hoje vamos falar com empreendedores que não trabalham em ponto fixo e comercializam seus produtos com negócios de rua no setor de alimentação.

Muitos vendedores ambulantes aproveitam a movimentação da clientela pelas ruas para oferecer lanches, salgados e doces como oportunidade de renda em diversas regiões do país. Porém, o momento atual trouxe novas formas de consumo e alguns desafios para quem tem esse estilo de comércio.

A circulação de pessoas diminuiu drasticamente e os grandes eventos (esportivos, musicais, de negócios, etc) programados para o ano, que serviriam para impulsionar os negócios de rua, adiaram suas datas ou até mesmo foram cancelados por seus realizadores.

E isso acabou interferindo na realidade dos vendedores ambulantes. No entanto, como reverter essa situação e continuar vendendo?

COMO VENDER COM SEU NEGÓCIO DE RUA

É hora de buscar novas alternativas para que o seu negócio não seja tão prejudicado com a desaceleração do comércio e você consiga manter as vendas, mesmo sem a presença de grandes eventos.

Preparamos algumas dicas que podem ajudá-lo a repensar sua estratégia e a expandir seu modelo de negócios.

REFORCE A HIGIENE

Mais do que nunca, esse é o momento de preparar o seu comércio com os cuidados necessários e a higiene recomendada para poder continuar operando com segurança.

Os clientes estarão mais exigentes com a limpeza e será preciso redobrar os cuidados para salvaguardar o seu negócio no dia a dia.

Limpe bem as ferramentas de trabalho, esterilize objetos na hora da entrega e use máscaras e equipamentos de segurança essenciais durante a sua produção. Isso garante que o seu carrinho de comida, food truck ou delivery seja validado e passe nas normas de higiene.

ESTUDE MELHOR OS HORÁRIOS

Apesar da diminuição do movimento nas ruas, alguns locais ainda possuem grande circulação e será preciso rever os horários do seu comércio durante o dia.

Estude a melhor hora para começar e veja se não será preciso reduzir a sua carga horária para você não ficar muito ocioso durante o trabalho.

CONTROLE OS GASTOS

É preciso controlar a produção e encontrar novas formas de economizar no dia a dia. Observe quantos pedidos entram e reavalie na hora de comprar itens para o seu estoque, para que você não saia no prejuízo.

Já que você terá novos gastos com a compra de equipamentos de segurança e higiene para manter o seu negócio de forma saudável, coloque no papel esse acréscimo e veja se não terá que fazer ajustes no orçamento.

ENCONTRE NOVAS FORMAS DE VENDER

Se você estiver encontrando dificuldades de vender com seu comércio de rua, procure novas formas de atingir o seu público com o seu negócio. Entrar em aplicativos de delivery talvez seja uma boa saída para continuar produzindo e vendendo alimentos.

Se você puder fazer as entregas, melhor ainda: assim, a taxa de entrega fica para você. Porém, será preciso reunir esforços para impactar mais clientes, comunicando por meio das suas redes sociais e interagindo com os consumidores de forma direta para divulgar cardápios, mostrar produtos, falar de lançamentos e anotar os pedidos diretamente.

Lembrando que muitos municípios estão adotando medidas incisivas de isolamento para prevenir a população e seus comerciantes. Por isso, é importante respeitar as leis e, caso seu negócio não possa permanecer aberto durante esse período, aproveite para se programar e pensar em alternativas possíveis para não ficar totalmente parado.

Se precisar de ajuda para repensar essa etapa, conte com a Academia Assaí e confira a nossa nova série de vídeos “Superando Desafios”. No episódio “Como adaptar seu negócio”, falamos um pouco sobre como você pode se reestruturar para adaptar seu comércio aos desafios do momento. Assista e aprimore ainda mais sua gestão!

Post mais vistos

Vitrine do Fornecedor

Unilever
Kibon
DelValle
Coca-cola