Empreendedor

Black Money e o fortalecimento de uma identidade

Postado em: 22 de Novembro às 13:08

O Black Money traz muitas vantagens para empreendedores negros e consumidores

O Black Money pode ser uma das mais alternativas mais poderosas de valorização e promoção do empreendedorismo negro e também da vida desta população que, hoje, representa a maioria dos brasileiros.

Mas você sabe como isso pode ser vantajoso para o seu negócio? Pesquisas (SEBRAE, 2015) apontam que 50% dos empreendedores do Brasil são negros. Outros levantamentos (PNAD-IBGE), mostram que a população negra brasileira movimenta, com renda própria, cerca de R$ 1,7 trilhão por ano. Isso mostra que os negros brasileiros têm não apenas potência criativa para o empreendedorismo, mas também poder de compra. E isso pode gerar boas vendas pra você!

 

O QUE É O BLACK MONEY?

Conceitualmente e também como “movimento”, o Black Money é o dinheiro que circula entre pessoas negras, consumidores ou empreendedores, ou seja, o consumo de pessoas negras de produtos e serviços criados e geridos também pela população negra.  

Isso quer dizer que o “dinheiro negro” é uma das moedas capazes de fortalecer e impulsionar empreendedores negros, gerando renda e trabalho para todos.

O IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) reforça que funcionários pardos e negros, no Brasil, ganham, em média, a metade do salário de um trabalhador branco, envolvendo tanto as dificuldades e as questões empresariais quanto a discriminação social. Por esta razão, impulsionar negócios negros colabora com o equilíbrio econômico e social entre pessoas de diferentes etnias.

 

QUAIS AS VANTAGENS DO BLACK MONEY?

Fortalecer o empreendedorismo negro tem diversos benefícios para quem o apoia, representa e investe:

 

- Empodera e fortalece a cultura afro e afro-brasileira;

- Incentiva a profissionalização da comunidade negra;

- Combate a discriminação étnica e social;

- Dá visibilidade à comunidade negra e mostra seu potencial econômico;

- Torna acessível a informação e motiva futuros empreendedores;

- Desmistifica o papel do negro na sociedade e luta por direitos iguais.

O EMPREENDER

É por isso que entender e respeitar a população negra como potencial consumidora - e empreendedora - pode colaborar para o seu negócio fluir, o que reflete positivamente em toda a cadeia empreendedora.

No Brasil, o empreendedor encontra diversas dificuldades para gerir e manter seu negócio, principalmente no início.

Cerca de 60% das empresas fecham antes de completar 3 anos de existência e, segundo a pesquisa Demografia das Empresas 2014, do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), 6 em cada 10 empresas não sobrevivem após cinco anos de atividade.

E para o afroempreendedor? Os desafios são ainda maiores! Alan Soares, Planejador Financeiro/Sócio da Trader Brasil e fundador do Movimento Black Money, explica que “se uma pessoa da comunidade negra tem o desejo de empreender, mas não possui capital para isso e nem conhece alguém próximo que possa fazer um empréstimo, possivelmente não vai ter a chance de dar sequência ao seu projeto”.

 

AFROEMPREENDEDORES

Ao todo, os empreendedores brasileiros movimentam cerca de R$ 1 trilhão ao ano, mas apenas 36% desse valor vêm de empreendedores negros, devido às dificuldades de investimento e capacitação.

Apesar da informação estar mais presente no dia a dia das pessoas, muitos membros da sociedade, principalmente da comunidade negra, não têm acesso à internet ou ao ensino especializado e isso os impede de tirar as ideias do papel.

Desse modo, consumir desses empreendedores, assim como desenvolver boas estratégias de vendas também para esta população, pode dar o impulso de que eles precisam! Este comportamento colabora – e muito – para que a população negra consiga se expandir e, de forma conjunta, ajuda tanto o empreendedor quanto os consumidores, que vão ter preços mais acessíveis e produtos pensados para eles. Interessante, não é mesmo?

 

OS BANCOS NEGROS

Uma estratégia bem legal e que vem ajudando milhares de empreendedores são os banco e serviços financeiros baseados no Black Money, melhorando a vida financeira da comunidade negra e incentivando o afroempreendedorismo.

Uma das iniciativas surgiu de uma negra, criadora do Movimento Black Money e executiva de TI há mais de 16 anos, Nina Silva. Uma mulher que, além de lutar por vários direitos, busca posicionar a comunidade negra pelo mundo com ações e projetos inovadores.

O banco DBlack Bank oferece todos os serviços de uma instituição financeira comum, porém com apoio total à população negra e o afroempreendedor. Você pode entrar em www.dblackbank.com.br/ e conhecer a plataforma.

Outro projeto que também é bastante conhecido entre a comunidade é a Conta Negra, uma fintech (junção dos termos "finaciadora" e "tecnologia") que oferece serviços do setor financeiro de forma facilitada e inovadora, com tudo o que o cliente tem direito: cartão exclusivo, gerenciamento via plataforma online, conta virtual e tudo o mais.

Vale a pena conferir e apoiar a iniciativa, também voltada ao Movimento Black Money: contablack.com.br/index.html

 

E, para quem investe em conhecimento, as chances são ainda maiores! É assim que a Academia Assaí incentiva os microempreendedores a conquistarem mais espaço e a fortalecerem seus negócios, pois todos os cursos são 100% gratuitos!

Com as videoaulas feitas para diferentes perfis de empreendedores, é possível se profissionalizar ainda mais e enfrentar as dificuldades que o seu negócio está passando, tudo sem sair de casa.

Assim, se o aprendizado chega até você, fica muito mais simples empreender! Comece agora mesmo um dos cursos da Academia Assaí: www.academiaassai.com.br/#video.

 

VOLTAR

Vitrine do Fornecedor